sábado, 19 de abril de 2014

Intrepidez: Um Poder Espiritual

por Vincent Cheung

"Agora, ó Senhor, considere a suas ameaças e capacite a teus servos a falarem tua Palavra com grande intrepidez" (Atos 4:29)

Muitas realizações são grandiosas apenas aos olhos daqueles que se preocupam com as coisas dos homens, e não com as coisas de Deus, cujos pensamentos ocupam-se de coisas inferiores e suas aspirações são apenas fantasias infantis. Quando as mentes dos homens enfraquecem, seus heróis são atletas, cientistas e políticos. Mas quando seus espírito são vivificados, eles tornam-se como os profetas.

Muitas coisas não são dignas de serem realizadas, e a coragem para realizá-las é igualmente sem valor. Uma pessoa pode dizer que ela escalou o Monte Everest "para a glória de Deus", mas isto é provavelmente uma desculpa para fazer um nome para si mesmo. E é sua própria bandeira que ele finca no topo. O slogan é usado para atribuir valor a qualquer coisa que o homem deseje fazer, quer eles se preocupem ou não com alguma coisa acerca da glória de Deus. A expressão tem sido convertida de uma doxologia para uma justificativa a favor de perseguir suas próprias ambições e divertimentos. Mesmo se todas as coisas me são permitidas, nem todas me são convenientes.

A intrepidez que devemos almejar é aquela  intrepidez para proclamar a mensagem de Jesus Cristo. A dois aspectos neste tipo de intrepidez. Primeiro, é uma intrepidez para desafiar a tradição. Isto inclui todas as coisas que os homens de fato creem e praticam, mas que são contrárias a revelação de Deus. Existem as tradições religiosas, que defenderam o assassinato de Cristo, as tradições científicas, que são invenções dos homens acerca da natureza da realidade, e que procuram subverter a verdade que está em Jesus. Há tradições culturais, a saber, normas relacionadas aos valores e estilos de vida nos quais pecadores podem viver confortavelmente. Segundo, é uma intrepidez para declarar a verdade. Nós devemos proclamar o que a Bíblia ensina sobre Deus, sobre a criação, sobre o homem, pecado e julgamento, e a redenção que já em Jesus Cristo.

Se as pessoas conhecem nossa mensagem e aderem a ela, eles de fato seriam cristãos. Mas nossa mensagem demanda arrependimento e conversão por parte dos não-cristãos. Nós desafiamos suas tradições, ou aquilo que eles estão acostumados a pensar e fazer. Nós os informamos que eles estão errados, e que precisam mudar. Além disso, a coragem cristã não nos move simplesmente a proclamar a mensagem, mas a proclamá-la numa maneira clara e direta. Uma meia intrepidez apenas sugere ou implica, mas uma completa intrepidez proclama, ameaça e regozija-se na mensagem de Cristo.

Porque a mensagem é impopular e o método é isento de ambiguidades, a pregação dela incorre na ira dos homens. Estes primeiros discípulos rogaram ao Senhor para considerarem as ameaças contra eles, mas em vez de pedirem por uma caverna para se esconderem, eles oraram por intrepidez para ir adiante e pregar! Ah, se os Cristãos possuírem esta intrepidez, demônios nos temerão e o mundo deverá nos ouvir. É um poder espiritual que esmaga a oposição e faz avançar a fama de Jesus Cristo. Em comparação, qualquer outro empreendimento que afirme ser "para a glória de Deus", mostrar-se-á uma missão de perdedores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário